A importância da convivência democrática na divergência de ideias

(Foto: Reprodução Internet)

Como não é raro na história do Brasil, hoje vivemos tempos difíceis, enfrentando uma grave crise econômica e política na qual os preços sobem, as ideias divergem e a temperatura dos debates se eleva. No panorama político, o clima é de clássico entre times de futebol, sendo muito comum que as discussões transbordem do campo das ideias e passem para o da pura ofensa pessoal. Basta ligar a TV, abrir o jornal ou acessar um site na internet para assistir verdadeiras batalhas entre situação e oposição, defensores de “a” versus defensores de “b”. Acredito que esse ambiente pesado, especialmente nas redes sociais, nos locais de convívio e de trabalho é, em grande parte, decorrente de estarmos ainda engatinhando em termos de construção de uma sociedade democrática e pluralista, que ainda carrega a herança de um histórico escravagista e autoritário e a leva ao enfrentamento de um duro aprendizado rumo à convivência pacífica entre contrários. Temos que nos convencer de que o debate respeitoso e democrático é enriquecedor, pois ninguém é dono da verdade e na troca de pensamentos as verdadeiras soluções podem surgir. Mas isso pressupõe a existência de respeito mútuo, pois quando a coisa desvia para o campo do desrespeito, e da grosseria, nada de valoroso pode surgir. Por mais que tenhamos “certeza” das coisas que defendemos, jamais podemos desrespeitar quem pensa de forma contrária, pois nessa vida o que hoje é certeza, amanhã pode se tornar uma dúvida e, depois, até o inverso. Nenhuma “certeza” política vale, por exemplo, a perda de uma amizade ou o estremecimento de uma relação profissional. Manter a calma e a educação é uma das atitudes que devemos ter. O bom debatedor sabe como baixar a temperatura da discussão sem que isso implique em aceitar o argumento com o qual não concorda. Às vezes, basta um momento de silêncio e reflexão. Lembre-se sempre que todo esse clima de enfrentamento em breve passará e é essencial que as amizades e o bom relacionamento com todos permaneça. 

Colunista 1 (1) copy

José Fernando Osaki

Advogado

(Foto: Arquivo Pessoal)