Banco do Brasil é condenado por obrigar funcionário a cumprir metas abusivas

(Foto: Reprodução Internet)

Após obrigar funcionários a fazerem operações irregulares, Banco do Brasil é condenado a pagar indenização de R$50 mil por assédio e danos morais. O trabalhador autor do processo afirma ter passado por situações de estresse elevado e desequilíbrio emocional devido às reclamações e humilhações sofridas.

Atualmente aposentado, o funcionário do Banco do Brasil ocupava o cargo de gerente de relacionamento quando se viu vítima de assédio por parte do gerente-geral da unidade, que o coagia a implantar seguros, limites e pacotes nas contas correntes dos clientes sem autorização. Segundo ele, o acusado estipulava “metas absurdas e impossíveis de serem cumpridas”.

A empresa, então, foi condenada pela Vara do Trabalho de Araraquara (SP) ao pagamento de R$100 mil reais pelos danos causados ao funcionário. O banco recorreu, mas o Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas/SP) e a Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho mantiveram a decisão, apenas reduzindo o valor pela metade.

Para o TRT, o gerente-geral “extrapolava os limites da razoabilidade na estipulação e cobrança de metas”, pressionando os subordinados a “infringirem os próprios regulamentos internos do banco”. Segundo uma testemunha do caso, inclusive, o acusado era uma pessoa agressiva e chegou a dar socos na mesa e gritar em reuniões com os demais funcionários.

Texto: Mayara Castro/Jornalista na Netshare Marketing Criativo