O que significa a mudança de Governo

Não foi apenas a presidente Dilma que saiu do poder, nem a esquerda, mas uma visão social diferente de tudo o que o Brasil já teve. O país avançou, sim, nos últimos anos e também sofreu com erros de condução, mas, a partir do afastamento da presidente, Michel Temer assumiu o Governo e não vimos nenhuma melhora na economia e muito menos o fim da corrupção. Pelo contrário, temos visto sucessivos escândalos envolvendo diretamente o Governo Temer, inclusive com recebimento direto de dinheiro ilícito. Bem diferente da presidente Dilma, que não tem nenhuma acusação de corrupção, apesar de ter feito um governo bem ruim e cheio de problemas, mas isso não é razão para tirar um presidente do poder.

Temer anunciou que o Brasil precisa “caminhar rumo à terceirização” e que projetos neste sentido devem ser votados rapidamente no Congresso Nacional. Mas pra que tanta pressa? Temer, Jucá, Aécio e todo o grupo PMDB/PSDB já sabem que as acusações da lava-jato serão cada vez piores, atingindo cada vez mais sua equipe e aliados, uma vez que o governo Temer já nasceu acabado, ilegítimo e corrupto até nas entranhas. Diante deste quadro, eles tentam desesperadamente aprovar as pautas empresariais com urgência para saudar dívidas com financiadores da corrupção e dar continuidade ao projeto de poder neoliberal.

Por que eles querem terceirizar tudo? Porque os empresários poderão economizar demitindo empregados contratados conforme o regime CLT e utilizando mão-de-obra de profissionais que possuem suas próprias empresas individuais e não contam com os mesmos direitos. Isso levará a um comprometimento significativo dos direitos trabalhistas, com perda de massa salarial e de segurança para o trabalhador.

Mas o golpe é ainda pior: você perderá o seu 13º salário, suas férias remuneradas, pagamentos por horas extras, seu descanso semanal remunerado, etc. Você ganhará menos que um salário mínimo por seu benefício da Previdência Social, pois vão aprovar uma lei em que não haverá mais este piso para o valor dos benefícios. Enquanto isso, os megaempresários irão enriquecer cada vez mais à custa do trabalhador e não podemos ver tudo isso acontecer sem lutar.

Precisamos enxergar além do que se vê – o problema do Brasil é muito mais grave do que apenas mudar um presidente ou culpar um partido. Só uma reforma política profunda poderá nos dar reais esperanças de ver esse país voltar aos trilhos!

eduardo-sjc-4

Eduardo Pires
Diretor do SEAAC de São José dos Campos