Do que foi, muito ainda está por vir

(Foto: Reprodução Internet)

Mesmo durante um ano tenso, de muitas dificuldades, de dramas políticos e difícil recuperação econômica do país, o SEAAC fecha 2016 com conquistas e projeções melhores para 2017. As negociações, muito complicadas e com o patronal “colocando a crise na mesa”, garantiram a reposição mínima das perdas salariais dos trabalhadores, além de avanços importantes em cláusulas sociais de várias categorias. A mudança de política social do Governo, com o impeachment da presidente Dilma, trouxe à tona uma disposição equivocada de acabar com os direitos e garantias dos trabalhadores e aposentados, em prejuízo a toda população, o que nos obriga a tomar uma posição em defesa das classes menos favorecidas. Além da provável reforma da Previdência, que instituirá idade mínima de 65 anos para aposentadoria, a decisão do STF contra a possibilidade de desaposentação também impactou os direitos dos aposentados. Enfim, todos vivemos algo positivo ou negativo, perdemos e ganhamos em todos os sentidos e, se o ano foi difícil, cabe-nos absorver as dificuldades e nos fortalecer para as lutas que ainda virão. O SEAAC mantém o espírito otimista, principalmente pela conquista do Espaço de Lazer, bastante desejado pelos trabalhadores e que significa para nós uma grande realização. Que venha 2017 sem medos, porque estamos preparados para os desafios que nos serão apresentados.

lazaro-site-327x1024

Lázaro Eugênio
Presidente do SEAAC