Número de homologações feitas pelo SEAAC continua caindo ao longo dos anos

(Foto: Reprodução Internet)

Apesar do cenário de turbulência que envolve o país no momento, um dos termômetros usados pelo SEAAC para medir o ano que se encerra é a quantidade de homologações feitas, já que este processo só é utilizado quando o funcionário e sua empresa contratante encerram um contrato de trabalho.

Em 2016, pudemos comemorar a queda de 32% neste número em relação aos processos feitos em 2015, totalizando o número de 2973 homologações. Agora, em 2017, podemos comemorar novamente uma queda, já que 2016 fechou o ano com 2635 homologações realizadas, uma redução de 12%.

Lázaro Eugênio, presidente do SEAAC, explica que esta redução atua como medida da situação econômica do segmento e significa que a área de representação conseguiu encarar os problemas do ano sem aumentar o número de funcionários dispensados. Quando muitos trabalhadores são mandados embora, o segmento sofre com a falta de mão-de-obra qualificada, que é imprescindível no momento de reaquecimento da economia. É um processo desgastante para as empresas, que precisam recontratar, e também para os trabalhadores que buscam recolocação no mercado de trabalho.

Desta forma, é motivo para o Sindicato saber que este número caiu ao longo de 2016. Para 2017, o SEAAC continua na luta pela defesa dos direitos dos trabalhadores em alcançar melhores condições de trabalho e remuneração justa.

 

Texto: Mayara Castro/Jornalista na Netshare Marketing Criativo